Gerente de comunidade

Community Manager, o facilitador da comunidade

Gestão comunitária

Esta profissão surgiu em 2005. Originalmente resultou do trabalho tedioso, e muitas vezes voluntário, dos moderadores do fórum. Reinventado e integrado pelas empresas, o objetivo essencial do Community Manager (ou CM) é agora aproximar a marca dos seus consumidores. Para isso, ele cria conteúdo digital e interage com diversas comunidades. De modo geral, ele está em contato direto com seu público.

O público consiste em potenciais clientes potenciais, consumidores e embaixadores da marca. Assim, o CM (sigla para Community Manager) tem uma posição ideal que lhe permite conhecer e compreender melhor os seus clientes e, portanto, o mercado em que a sua empresa atua.

Quais são as missões de um Community Manager?

Para popularizar suas responsabilidades, veja como seriam as missões de um CM recém-contratado, representando, por exemplo, uma marca de roupas:

  • Identificar comunidades: Primeiro, identifica as comunidades que falam sobre sua marca. Se esta marca ainda é nova no mercado e ninguém fala dela ainda, ela cria esta comunidade. Você ficará surpreso ao ver que há uma infinidade de opiniões e discussões sobre todos os assuntos. Provavelmente já estamos falando de você!
  • Junte-se e lidere comunidades: Uma vez identificado, ele se junta a essas comunidades e as lidera. Neste ponto, é preciso redobrar a criatividade e a empatia, pois é preciso passar de novo membro a ponto de contato confiável e referência absoluta nesta comunidade.
  • Desenvolva a comunidade: Desenvolve e faz evoluir esta comunidade, melhorando a influência da marca ao aumentar o número de assinantes. Assim, cada vez mais pessoas conhecerão a marca, a sua imagem e os seus valores.
  • Unir a comunidade: Compartilha informações exclusivas e apoia seus associados, aumentando o índice de interações e engajamento nas redes e transformando assinantes virtuais em embaixadores ativos no mundo real.

O esquema é simples: quanto mais conteúdo você publicar, mais amor pela sua marca crescerá e mais embaixadores você terá que falarão e elogiarão seus produtos.

A importância dos dados

Graças a esta imersão no seu público, o CM tem acesso a um fluxo de dados brutos, naturais e autênticos. Ele pode traduzir e formatar esses dados para seus colegas que não têm acesso a eles. Essa fonte de informações fornece feedback dos consumidores, elementos de resposta sobre a melhoria de seus produtos e muitos caminhos para soluções concretas durante as reuniões de tomada de decisão. Além disso, permite que você fique atento a sinais fracos para evitar buzz ruim.

É assim que se dividiria, em tese, o desenvolvimento e a animação das comunidades de uma marca. Você deve, obviamente, escolher as redes nas quais interage com base no seu cliente-alvo (Persona Buyer). Um erro comum é querer estar presente em todas as redes ao mesmo tempo, o que muitas vezes resulta em muito esforço para poucos resultados.

Como definir sua linha editorial?

Depois de escolher suas redes, você precisa definir sua linha editorial:

  • Personagem do comprador: Dependendo do seu cliente típico, escolha o tom, a maneira, o estilo de redação e a abordagem geral de suas comunicações. Trata-se de se adaptar ao seu público-alvo para que a leitura seja fácil e agradável.
  • Tipos de interações: Defina os tipos de interações que você criará com sua comunidade. A prática o levará a modificar certos elementos do primeiro passo.
  • Emoção: Dessas trocas e interações surgirá uma emoção. Essa emoção ficará na mente do seu público quando ele pensar na sua marca. Este é o elemento-chave da linha editorial.

Por isso, no processo de definição, você primeiro escolhe a emoção que deseja que sua marca emita, depois deduz o estilo de comunicação a adotar. A emoção geralmente está ligada à sua marca. Essas escolhas de estilo de comunicação, interações e emoções constituem a linha editorial. É o seu “guia de comunicação” nas redes.

Você precisará adaptá-lo a cada um de seus clientes típicos e ao estilo da rede onde estão presentes para otimizar suas comunicações.

Qual é o perfil de um gestor de comunidade?

Qualidades básicas necessárias

As qualidades gerais exigidas para gerentes de comunidade são:

  • Curiosidade: Monitore as mudanças de comportamento nas redes e torne-as suas, porque você precisa se tornar um ator.
  • Senso comum: Você é a voz da empresa, apesar do lado “cool” das redes. Você não deve ofender o cliente! Você deve, portanto, saber se adaptar ao seu comportamento e, mais difícil, ao seu humor.
  • Conhecimento da linha editorial: Conhecer e dominar a linha editorial da empresa e o seu posicionamento no mercado.

Dependendo do seu negócio, seja você vendendo um produto ou oferecendo serviços, você não precisará do mesmo tipo de perfil de Community Manager. Deve primeiro definir a sua estratégia de comunicação, determinar os critérios a controlar (impressões, engagement, conversão, etc.) e evoluí-los de acordo com os seus objetivos mensais.

Tipos de perfil reconhecidos

Podemos identificar 7 perfis diferentes de CM com suas qualidades específicas:

  • O criador do conteúdo: Concentra-se na criação de conteúdo para se posicionar diante das dúvidas que os internautas estão fazendo. Por meio de artigos de blog, páginas de destino ou vídeos, atrai usuários de mecanismos de pesquisa. Propensões: Redação, criatividade, autonomia com ferramentas de criação visual.
  • O estatístico: Analisa os resultados da campanha e do conteúdo para refinar e melhorar o que funciona. Virtudes: Análise de dados, experimentação científica, pedagogia.
  • Serviço pós-venda: Representa seus serviços e sua marca nas redes. Responde rapidamente a comentários, perguntas e mensagens. Dons: Comunicação, paciência, empatia.
  • O jornalista: Fique por dentro das novidades e tendências para compartilhar informações relevantes com sua comunidade. Méritos: Viciado em informação, bom senso.
  • O facilitador da comunidade: Posiciona-se em plataformas de intercâmbio para responder a problemas específicos e criar conteúdos sobre assuntos recorrentes. Habilidades: Conhecimento técnico, pedagogia.
  • O comerciante da web: Otimiza a configuração da página e a navegação do visitante para aumentar a taxa de conversão. Características: Conhecimento teórico de marketing, domínio do processo de funil de marketing.
  • O gerente de mídia social: Responsável pela equipe de CM, gerencia o plano geral de mídia e coordena projetos em todas as plataformas. Propensões: Tomada de decisão, comunicação, negociação.

Precisa de um gerente de comunidade? Entre em contacto connosco!

Clique nos textos acima para nos contactar
por correio eletrónico ou telefone!

Embalagem do produto

Embalagem: o seu trunfo de comunicação!

Como já deve ter reparado, com o aumento das questões ecológicas, a tendência atual é para as embalagens a granel. Embora estas novas preocupações e hábitos de consumo não devam ser ignorados, as embalagens tradicionais continuam a ser essenciais em muitos casos, seja por razões técnicas ou comerciais.  

O papel e as funções da embalagem

Para algumas pessoas, a embalagem existe apenas para ser bonita. No entanto, na maioria das vezes, a sua função principal é técnica: seja para conter um líquido, proteger um produto frágil, ajudar a conservar um género alimentício, permitir ou facilitar a sua utilização pelo consumidor (como é o caso do famoso separador Flanby ou das tampas em hélice Pom'Potes que facilitam a abertura das garrafas de água pelas crianças)...

A embalagem tem também funções comerciais e de marketing. Embora secundárias, são as que requerem uma reflexão mais estratégica, porque a embalagem é a sua principal ferramenta de comunicação (aquela de que não pode prescindir devido às suas funções técnicas e que, portanto, é de certa forma "gratuita") e permite-lhe transmitir uma quantidade considerável de informação. Na minha opinião, este é o papel mais importante do ponto de vista da marca, especialmente nos supermercados, onde os seus clientes não recebem conselhos de compra e onde a concorrência é feroz. Neste caso, uma embalagem bem construída pode fazer toda a diferença!

A sua embalagem permitir-lhe-á transmitir diferentes mensagens, tais como :

✔️ Identificar o nome, a imagem e o posicionamento da sua marca. 
✔️ Comunicar a sua estratégia.
✔️ Informações o seu consumidor sobre o produto em si, a sua composição e a sua utilização.
✔️ AtrairIsto pode ser conseguido fazendo com que o seu produto se destaque da concorrência e/ou criando um apelo e uma emoção específicos para o consumidor. Uma embalagem com impacto suficiente será um verdadeiro vetor da imagem da sua marca e contribuirá para melhorar a sua reputação.

Fonte : aesop.com

Fonte : aesop.com

Por exemplo, a embalagem Aésop, embora extremamente sóbria, transmite as mensagens-chave da marca:

✔️ O nome da marca: a primeira informação visível que se destaca das restantes
✔️ A estratégia de transparência é claramente demonstrada pela colocação da lista de ingredientes na parte da frente do produto, quando esta informação se encontra normalmente na parte de trás.
✔️ A utilização do preto e branco transmite simultaneamente a simplicidade da marca e o seu posicionamento ligeiramente premium.

Como é que se pode garantir que se desenvolve uma embalagem apelativa?

Enquanto marca, terá sobretudo de gerir as fases-chave de reflexão e conceção da cadeia gráfica durante o desenvolvimento da embalagem, mas terá também de gerir as fases de controlo dos documentos durante a fase de impressão. É um pouco fastidioso, mas não deve negligenciá-lo, porque é quem melhor conhece a sua embalagem, pelo que estará na melhor posição para detetar eventuais erros. E, acima de tudo, se houver um problema com o resultado final, será o único a sofrer!

Elaborar um briefing exaustivo para orientar o processo de conceção gráfica

Isto implica pensar na estratégia que o seu pacote deve transmitir e centralizar tudo num conjunto de especificações para orientar o seu designer gráfico na sua conceção. A nossa experiência diz-nos que, muitas vezes, tentamos avançar o mais rapidamente possível para o grafismo, mas sem ter validado (pelo menos em parte) o formato do seu pacote, não vale a pena começar a pensar nele em profundidade. A disposição e a quantidade de informação dependerão muito do suporte: a sua forma, a superfície disponível, etc. Por isso, recomendo que comece por analisar as linhas gerais do formato antes de abordar o briefing de design em pormenor.

Definir o resumo funcional para determinar o formato e os materiais a utilizar

Eis a lista de perguntas que faço sistematicamente a mim próprio para aperfeiçoar o meu resumo:

  • O que deve conter a minha mochila?
  • Quais as funções técnicas que a minha embalagem deve cumprir?
  • Quais são as minhas limitações técnicas em termos de armazenamento, transporte, linha de produção, prateleiras, etc.?
  • Qual é o custo unitário máximo que pretendo investir?
  • Que material(ais) pretendo utilizar (em função do custo e do posicionamento da marca)? Por exemplo, no sector das bebidas espirituosas, pode ter várias opções: apenas a garrafa para um produto de entrada de gama, a garrafa numa caixa de cartão para um produto de gama média, ou a garrafa num recipiente (mais sólido) para um posicionamento premium.
  • Quantas cores (incluindo cores Pantone) posso/devo utilizar? Se possível, utilize uma cor Pantone para o seu logótipo para garantir a coerência entre os seus diferentes materiais impressos.

Nesta fase, deve também ter em conta o aspeto ecológico. Atualmente, existem vários aspectos que podem ser utilizados para otimizar a durabilidade da sua embalagem, como a tinta ou o material utilizado (utilizar menos material, um material fácil de reciclar ou desenvolver uma embalagem que possa ser reutilizada).

Eis a lista de perguntas que faço sistematicamente a mim próprio para aperfeiçoar o meu resumo:

Este é certamente o aspeto mais importante da sua reflexão. Pode optar por um formato e material de embalagem normalizados e confiar inteiramente no grafismo para se destacar da multidão. É frequentemente o caso dos produtos de entrada de gama ou de gama média.

O briefing criativo será depois interpretado pelo seu designer gráfico, razão pela qual é importante ser exaustivo quanto ao conteúdo que pretende ver na sua embalagem e orientar suficientemente o aspeto criativo para ser coerente com a sua imagem de marca.

Comece por enumerar o conteúdo escrito:
  • Lista exaustiva das informações obrigatórias e recomendadas (informações regulamentares, informações relativas à qualidade, etc.) + especificar a posição que devem ocupar se tal for exigido por lei. Não se esqueça de definir primeiro estes elementos de forma clara, pois limitarão o espaço disponível para os elementos facultativos.
  • Nome da sua marca e do seu produto, e logótipo
  • Conselhos de utilização e de preparação do produto...
  • Informações de marketing para contar a sua história e criar uma ligação com o consumidor, e quaisquer outras informações que deseje transmitir, tais como ofertas promocionais, o resto da sua gama, etc.
Dê ao seu designer gráfico algo com que trabalhar:
  • Carta gráfica completa a anexar ao dossier
  • Explicação do contexto para permitir que o designer gráfico compreenda o que está em jogo: o seu alvo e posicionamento, a razão do projeto (novo produto, facelift, etc.).
  • Compare as embalagens dos concorrentes para compreender o panorama da concorrência e saber como se destacar da multidão.
  • Se já tiver produtos existentes, anexe imagens das embalagens para que, desde o início, possa criar a harmonia e a homogeneidade essenciais à imagem da marca, mas também para que haja diferenciação suficiente para compreender claramente a construção da sua oferta.
  • Se o seu mercado e o seu posicionamento assim o exigirem: os códigos a respeitar. Por exemplo, em produtos como o leite em pó para bebés, há uma necessidade real de tranquilizar o comprador. Por isso, é essencial respeitar os códigos do mercado.
  • Por outro lado, se estiver a fazer uma edição limitada, se o seu produto não for muito cativante ou se a sua marca já tiver uma boa reputação, pode permitir-se desviar-se dos códigos habituais, por exemplo, as edições limitadas da Heineken para o torneio de futebol Euro, em que o nome da marca é minimizado a favor dos países participantes.

Fonte : Danstapub.com

Assegurar a coerência entre o briefing e a expressão gráfica

Durante todo o processo de conceção gráfica, não se esqueça do seu briefing: todos os elementos nele mencionados devem aparecer na embalagem. Deve também dedicar algum tempo a fazer uma maquete para ver o aspeto da embalagem em 3D, em tamanho real, para avaliar se os vários elementos são visíveis e legíveis de frente (só se consegue ver este tipo de coisas em tamanho real) e para testar o design numa situação real, posicionando-o:

  • Com o resto dos seus produtos, assegure a coerência, para que o consumidor estabeleça a ligação entre os diferentes produtos da sua marca, e a diferenciação, para que compreenda que se trata de produtos ou mesmo gamas diferentes.
  • Fale com as matilhas concorrentes para se certificar de que a sua matilha se destaca.

Só depois de todos estes pontos terem sido validados (e se estiver satisfeito com o design) é que pode enviar o ficheiro para a gráfica.

O que deve verificar quando o ficheiro estiver nas mãos da impressora?

Controlo #1 : Depois de o seu ficheiro ter sido adaptado pela impressora (essencial para funcionar em máquinas técnicas), não se esqueça de verificar :

Controlo #2 : A prova! É o momento em que valida as cores do seu pacote através de um documento chamado saída de cor, cromalina ou prova de cor. Para um projeto muito estratégico, ou se estiver a trabalhar com uma nova gráfica, recomendo que se dirija à gráfica para esta fase. Será mais fácil para si pedir os ajustamentos necessários. Não hesite em aproveitar a prova para verificar novamente o texto e as imagens, porque uma prova validada serve de base de controlo para a sua gráfica durante o resto da produção.

Controlo #3 : Um controlo final aquando da receção das primeiras séries de produção, para garantir que tudo está em conformidade com a prova, especialmente se se tratar de uma reimpressão.

MÁ COMPANHIA DE ZUMBIDO

3 MANEIRAS DE SAIR DO MAU HUMOR!

BAD BUZZ. O terror de todos os community managers na era digital... Quais são os princípios fundamentais a ter em conta durante este tipo de emergência? Como é que as outras empresas o fazem? Este artigo está aqui para ajudar. O que é um zumbido mau?

Trata-se de um fenómeno de "boca-a-boca" que pode ter um grande impacto na sua imagem de marcae especialmente em redes sociais.

O teu avião está a despenhar-se e tens 3 portas de saída.

SAÍDA A: SER RESPONSÁVEL

Nunca negar e repor a verdade, reagir!

Se um boato se espalha sobre a sua marca, deve haver alguma verdade nele e alguma coisa que foi inventada por pessoas mal-intencionadas. Não fique em silêncio - isso significaria que concorda com tudo o que é dito sobre si aos olhos do público. Não tenha pressa, mas dê sempre uma resposta clara e tão próxima da verdade quanto possível.

Por isso, não elimine o conteúdo Isto terá provavelmente o efeito contrário, por isso, seja o capitão do navio. O objetivo não é fazer desaparecer os comentários negativos, mas sim regulá-los o melhor possível e acalmar a situação.

OLHA! Eis como a Whole Food o fez, respondendo aos críticos com um rápido pedido de desculpas, um bom trocadilho e uma embalagem melhorada. ... foi um golpe para a marca quando um utilizador do Twitter publicou uma fotografia das suas laranjas descascadas dispostas em recipientes de plástico... O cena do crime aqui.

SAÍDA B: SER HUMANO

É necessário encontrar uma resposta com a qual todos se possam identificar, para que se sintam ouvidos mesmo quando estão errados. Hoje em dia, com o marketing personalizado Os clientes querem sentir que podem ter um impacto na sua empresa. É uma relação de um para um.

OLHA! Foi assim que a Next Media Animation, um estúdio de animação com sede em Taiwan que cria vídeos satíricos, respondeu à sua antiga funcionária Marina Shifrin, que tinha feito um vídeo de si própria para anunciar a sua demissão. O vídeo mostra-a a dançar enquanto enumera todas as críticas à sua empresa.

A Next Media Company utilizou uma forma de comunicação mais humana em vez de a levar a tribunal.

Aqui está o vídeo da paródia (infelizmente, a versão original de Marina já não está disponível).

A RESPOSTA PARA MARINA

SAÍDA C: SORRY

Não é demasiado tarde para pedir desculpa. O público precisa de ouvir que lamenta (sinceramente) a situação e quer saber o que vai fazer a seguir para melhorar a situação. "Uma falha confessada é meio perdoada

OLHA! Eis como a La Redoute lidou com o caso do homem nu: má escolha por parte da marca ao deixar um homem nu no fundo de uma fotografia de um grupo de crianças a rir! Mas veja como é eficaz esta gestão de crise em duas fases: primeiro, o pedido de desculpas e, depois, este anúncio engraçado (desculpa não significa aborrecimento).

Os seus Conta no Twitter, onde todos estão vestidos.

O SEU COLETE SALVA-VIDAS :

Depois da crise, é altura de dar um passo atrás e analisar as razões que a levaram a acontecer. Assim, da próxima vez, será um especialista.

Um dos segredos da comunicação de crise é estar preparado para todas as eventualidades.

Faça planos para lidar com todas as situações possíveis: se algo correr mal com a qualidade do seu produto, se houver uma greve de funcionários, se a sua musa não der uma boa imagem da sua marca, etc. É assim que as grandes empresas lidam: para cada evento potencial que possa desestabilizar a empresa, existe um plano de comunicação de crise.

Também é necessário estar atento ao que se passa com a sua marca. Como diz Thierry Portal, especialista em reputação eletrónica Nitidis: "As crises de reputação ocorrem quando os sinais fracos são ignorados".

Voltar ao blogue

Criar o logótipo da sua marca

Olá leitores!

Hoje vou revelar todos os segredos do design de logótipos. É uma missão de extrema precisão e o resultado final tem de ser perfeito! É por isso que todos os aspectos têm de ser pensados de antemão. Desde a escolha do cores, de formasemoção desejado. Terminaremos com um podcast sobre o assunto. Sophie Bodineau, fundadora e designer gráfica da What'zhat design Agency, vai analisar 3 logótipos para nós.

Passemos agora ao verdadeiro assunto.

O SIGNIFICADO DAS CORES

A cor é o que se nota primeiro, estará ligada à sua marca e será visível em todos os seus produtos. meios de comunicação.

Cada cor tem um significado, uma ligação inconsciente na mente das pessoas (especialmente nos países ocidentais). É por isso que é tão importante pensar nas palavras-chave da sua empresa.

- Vermelho representa paradoxosamor/perigo, bravura/perigo, zelo/força

- Verde representa renovação, crescimento, esperança, natureza e sorte

- Amarelo representa o luzego, conhecimento, amizade e alegria

- Azul representa o segurançaestabilidade, lealdade, sabedoria, confiança e ciência

- Cor-de-rosa representa o ternuraromantismo, feminilidade e beleza

- Laranja representa o comunicação, dinamismo, entusiasmo e diversão

- Preto representa o potênciao mistérioelegânciasimplicidade e rigor

Atenção! Cada associação psicológica No que diz respeito às cores, as atitudes podem mudar rapidamente, dependendo da cultura, da atualidade, do tempo, da história pessoal e das tendências.

Para mais informações, visite estes sítios Web: code-couleur.com e Pantone.

O SIGNIFICADO DAS FORMAS

Se utilizar formas no seu logótipo (por vezes, as marcas utilizam apenas tipografia), isso terá um impacto na perceção dos valores e da sua marca. a identidade da sua marca. Para atingir o seu objetivo é preciso saber reconhecer as associações inconscientes do cérebro com determinadas formas.

Aqui estão os mais comuns e o que significam para a maioria das pessoas:

- Formas arredondadas acolhedor, caloroso

- Formas quadradas e rectangulares : sério, estável e equilibrado

- Formas triangulares poder, duro

- Formas orgânicas flexibilidade, naturalidade

- Formas espirais : introspeção, inspiração e continuidade

- Linhas verticais : hierárquico, superior e forte

- Linhas horizontais : comunicação, calma e serena

Aconselha-se a utilização de formas com moderação, uma vez que o seu exagero pode complicar a compreensão.. Um bom logótipo é claro e legível. Também pode criar formas sem as adicionar, utilizando a técnica de formas positivas/negativas, algumas das quais são descritas abaixo. exemplos aqui.

UMA MISTURA INTELIGENTE

Para um logótipo, tudo é possível, qualquer forma e qualquer cor, mas um designer gráfico terá sempre em mente a mensagem principal e as palavras-chave da empresa. O resultado é frequentemente uma mistura coerente. Se o seu cliente quiser absolutamente um triângulo, com ângulos agudos, mas estiver a vender artigos para bebés recém-nascidos, pode suavizar tudo adicionando um azul muito claro, por exemplo. É tudo uma questão de equilíbrio.

O PODCAST

Como prometido, aqui está um podcast sobre a teoria da escolha de cores e formas.

Plus, l’analyse de 3 logos, ci-dessus, créés par l’équipe What’zhat (en français) :

O QUE SIGNIFICAM OS DIFERENTES TIPOS DE LETRA?

Nas palavras de WikipédiaA tipografia refere-se aos vários processos de composição e impressão que utilizam caracteres e formas em relevo, bem como à arte de utilizar diferentes tipos de caracteres para tornar a linguagem legível, atractiva e inteligível.. De facto, estes são 3 dos principais factores que temos em conta durante os nossos encontros com os nossos clientes.

Antes de mais, esta imagem ajudá-lo-á a compreender as diferenças entre os tipos de letra:

No entanto, posso garantir-lhe que não precisa de conhecer todas estas palavras técnicas em pormenor - eu sei que não tem tempo! Por isso, sugiro que continue a ler, que se centra mais no aspeto psicológico de cada tipo de letra.

Cada tipo de letra não combina com qualquer outro. Ter a combinação certa permitir-lhe-á criar profundidade na sua identidade (esta regra também se aplica a todos os seus materiais de apresentação e designs, agradeça-me mais tarde pela dica). Encontrará aqui mesmo uma ligação para um sítio muito bom que o poupará a erros de gosto. Também vais precisar disto sítio Web que lhe permite descarregar os seus tipos de letra favoritos.

A IMPORTÂNCIA DAS EMOÇÕES

Après avoir choisi vos couleurs, formes et typo vous commencerez à obtenir une bonne première vision de votre futur logo. Cependant, si vous vous arrêtez ici vous raterez probablement la meilleure partie : les émotions. De nos jours nous n’achetons plus les produits comme nous le faisions avant. Les clients sont à la recherche (de manière inconsciente) d’une relation avec la marque. Ils n’achètent plus le produit seulement pour ses caractéristiques mais aussi pour ce que représente et véhicule la marque.

É por isso que tem de se concentrar ainda mais no seu logótipo. Tente jogar com uma das 6 emoções reconhecidas pelos especialistas como as mais fortes: alegria, orgulho, confiança, curiosidade, medo e culpa.

Por exemplo:

A Desigual, uma grande marca de pronto-a-vestir, criou um logótipo que, na nossa opinião, representa muito bem muitas destas emoções. Graças às formas muito orgânicas que parecem formar uma explosão de cores, a Desigual pretende despertar a curiosidade dos seus clientes. A clareza destas mesmas cores é um convite óbvio a um sentimento de alegria e de festa.

Por fim, a tipografia, que por vezes se inverte, mostra que a Desigual não hesita em ir contra a corrente e impor o seu sentido de orgulho com um tipo de letra muito ousado. Neste excelente exemplo, podemos ver que todos estes elementos formam um conjunto coerente e totalmente de acordo com a marca.

O SEU LOGÓTIPO ESTÁ PRONTO!

Il est maintenant temps d’apprécier votre logo et de l’afficher partout. Mais n’oubliez pas que le temps file ! Vous vous devez d’être flexible lorsque vous êtes confronté à un environnement en constant changement. Comme expliqué plus haut, la signification des couleurs, des formes et des typos peuvent changer du jour au lendemain en fonction des évènements. N’hésitez pas à changer/moderniser votre logo lorsque vous sentez qu’il en est temps. Ne soyez pas frileux ! Vos clients serons surpris dans le bon sens et parlerons de vous pendant la pause café ! Il est bon et positif pour eux de voir que votre business évolue et suis les tendances. Faîtes évoluer votre logo en bonne intelligence, suivez votre stratégie déjà mise en place et rester en accord avec votre a imagem e os valores da sua marca.

Por exemplo:

O Paypal, que oferece métodos de pagamento em linha, não só evoluiu o seu logótipo em função do seu ambiente e das tendências actuais, mas também em função da sua própria história. Em 1999, eram muito poucas as pessoas que utilizavam este serviço. A Internet tinha apenas dois anos, por isso, à medida que a empresa cresceu em importância, também se tornou mais confiante na abordagem ao seu logótipo, com letras mais cheias, cores mais vivas e um aspeto geral mais adequado a uma empresa líder.

Voltar ao blogue

Agência de comunicação da China

Como conceber a sua marca para a China

Decidiu finalmente vender o seu produto no mercado chinês.

Porquê? Afinal de contas, a China tem mil milhões de consumidores, uma economia em expansão e um mercado cada vez mais sofisticado. O suficiente para entusiasmar qualquer pessoa com uma veia empreendedora. Mas sabe muito bem que esta diversificação continua a ser arriscada. Por uma série de razões, nomeadamente desenho do seu marca.

Então, como é que se adapta ao mercado chinês?

  • Certifique-se de que contrata um profissional para traduzir eficazmente o nome da sua marca para chinês, tendo em conta as implicações fonéticas e o significado literário. Uma simples tradução literal pode ter resultados catastróficos.
  • Ao contrário do Ocidente, os chineses processam a informação de forma diferente. Primeiro, processam a informação geral e depois analisam os pormenores.
  • Como pode imaginar, a cor e o simbolismo têm significados diferentes dos do Ocidente. Por exemplo, a cor vermelha é considerada uma cor da sorte na cultura chinesa e a maçã é um símbolo de paz. Pesquise as cores e os símbolos da sua marca. Isto pode levá-lo a fazer alterações ao seu design, mas também a identificar oportunidades de comunicação.
  • Pesquise exaustivamente o significado da sua marca para o mercado ocidental e transponha-o para o mercado chinês para ver o que é suscetível de ser mal interpretado. Não se esqueça de que poderá ter de pedir ajuda a um especialista.

Quando se pensa em design, não se pensa necessariamente na China como um dos seus principais mercados. contribuintes história, e está errado. Foi na China que a impressão e o papel foram inventados. Isto levou a que a China tivesse a sua própria estética, a sua própria caligrafia e a sua própria interpretação do conteúdo visual.

A razão pela qual a China não está associada ao design gráfico e à arte deve-se à Revolução Cultural. Durante este período, qualquer meio de comunicação visual que não viesse de o Estado era proibido. Mas os tempos mudaram, e o A China abriu-se para o mercado livre. Para as empresas chinesas, isto significou problemas a ultrapassar. Por exemplo, adaptando a conceção às suas necessidades. património cultural sendo moderno, um equilíbrio que nem sempre é fácil de alcançar. Atualmente, as empresas chinesas são afeiçoado jovens talentos contemporâneo que possam comunicar eficazmente os valores da sua empresa.

TIPOGRAFIA

Porque é que a tipografia é tão importante na China?

Para as marcas na China, a tipografia e a designação são uma parte essencial do design pela simples razão de que aaspeto visual o nome da marca e o significado são completamente inseparáveis. Se a marca chinesa não for estudada, as repercussões podem ser bastante graves. grave e muitas vezes não consegue penetrar no mercado.

Falhas tipográficas

Ao entrar no mercado chinês, a Coca-Cola definiu o seu nome em chinês como 啃 蜡 (Kēdǒu kěn là), que é foneticamente correto mas se traduz em "morder um girino de cera. Mais tarde, eles mudaram seu nome de marca para 可口可乐 (Kěkǒukělè), que significa. "felicidade saborosa que é muito mais adequado para o marketing da Coca-Cola.

A Mercedes Benz é outro exemplo. A parte "Mercedes" da marca é difícil de pronunciar em chinês e não tem significado. Por esta razão, o fabricante de automóveis decidiu adotar o nome chinês de 奔驰 (Bēnchí) , que significa "Mercedes".velocidade máxima". Um nome de marca memorável, bonito e com significado.

Tipografia de sucesso

Uma vez definido o nome, a identidade visual da marca e o seu significado fundir-se-ão. Isto pode facilmente ser prejudicial para a sua marca se for mal executado. No entanto, se for bem feito, a oportunidade de transmitir o significado e os valores da sua marca aumenta. excecional.

SIMBOLISMO

Símbolos da China

Através do prisma das diferentes culturas, os símbolos e os seus significados podem variar consideravelmente.

O verde está associado à positividade na cultura ocidental e o vermelho à negatividade, enquanto na China.., é o contrário. O vermelho está associado à sorte e à boa fortuna e o verde ao exorcismo e à infidelidade. Na China formas redondas são geralmente associados à união, harmonia e unidade, porque são mais orgânicos, enquanto os formas geométricas com ângulos agudos são negativamente associados e considerados inestéticos. E estas são apenas algumas das interpretações mais óbvias.

A China é um país extremamente rico em cultura e em históriaÉ por esta razão que recomendamos um estudo aprofundado da interpretação de certos simbolismos que podem afetar a sua marca.

PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE O ORIENTE E O OCIDENTE

Do maior ao mais pequeno

Os chineses tendem a pensar da forma mais geral em mais pormenorizada, enquanto os ocidentais tendem a fazer o contrário. Por exemplo, isto é visível na forma como os chineses escrevem o seu nome (apelido e depois nome próprio), mas também na forma como apresentam a data (ano e depois mês). Esta sequenciação podem ser traduzidas na identidade visual da sua marca para melhor se adaptar aos seus clientes chineses e manter uma comunicação clara.

Consumo de informação

No Ocidente, a informação visual é transmitida de uma forma mais leve e simplificada, com ênfase no aspeto principal da mensagem. Enquanto na China (e na Ásia em geral), os meios de comunicação social são muito mais direccionados. mais ocupado na informação. Há várias razões para este facto:

  • Em primeiro lugar, os caracteres chineses ocupam menos espaço do que os caracteres latinos e todos os caracteres chineses têm uma forma quadrada, independentemente da sua complexidade,
  • Em segundo lugar, como a informação é consumida de forma diferente, os chineses tendem a navegar e a consumir conteúdos muito mais pesados numa única página com imagens mais pequenas. Por outras palavras, ao conceber a sua interface, não hesite em utilizar muitos elementos.

Os princípios de conceção aplicam-se a

Tudo isto pode parecer complicado, mas há boas notícias. Mesmo que sejam interpretados de formas diferentes ou com ênfases diferentes, os princípios do design continuam a aplicar-se e podem mesmo ser totalmente transposto de uma audição para a outra.

Precisa de ajuda para entrar no mercado chinês? A resposta é... provavelmente. Se é essencial que a sua marca seja facilmente identificável ou se está num segmento competitivo, particularmente com marcas chinesas, haverá subtilezas a ter em conta para criar um branding eficaz neste mercado. É, portanto, arriscado tentar fazer tudo internamente sem qualquer conhecimento destes conceitos.

Se está a criar a sua própria marca, não se esqueça de que certos elementos ocidentais também serão um fator de sucesso. ativo. De facto, um toque "europeu" é uma garantia de qualidade na perceção dos clientes chineses. Por isso, adapte a sua marca o suficiente para que os seus valores e a sua mensagem é optimizado para o seu público, mas não ao ponto de a identidade da marca ser completamente apagada.

Acha que os seus futuros clientes chineses vão apreciar o seu toque? exotismo?

Tinta ecologicamente responsável

Para desenhos ainda mais eco-responsáveltemos a solução.

What'zhat é uma agência de design sediada em Lovaina. Vietname Este é um assunto que nos afecta de duas maneiras. As questões que envolvem tinta e poluição A poluição atmosférica faz parte do nosso quotidiano. É por isso que hoje lhe trazemos a história deTinta de ar.

OS PRIMÓRDIOS DA TINTA DE AR

Quando Anirudh Sharma era apenas um estudante na altura, viajou para a Índia. Tirou esta fotografia bastante artística do seu país natal, que lhe deu origem a uma ideia brilhante: tinta preta feita a partir da poluição dos gases de escape dos nossos automóveis.

Leia mais sobre esta anedota neste artigo Vídeo TED TALK.

Em seguida, iniciou várias experiências caseiras para descobrir se o seu projeto era realmente viável. Foi um sucesso. Com a sua equipa Nikhil, Nisheetj e Nitesh, transformaram as suas salas de estar em linhas de montagem para os seus canetas inovadoras. Isso foi em 2012 e, desde então, a produção tem crescido de forma constante, com a Ink Air a ser atualmente utilizada por artistas em todo o mundo.

COMO É QUE O PM2.5 SE TORNA UMA OBRA DE ARTE?

A Air Ink é, antes de mais, uma Kaalinka pequena máquina que pode ser montada em qualquer tubo de escape para extrair PM2,5. Este nome científico complicado refere-se, de facto, simplesmente ao  de poluição criada pelos nossos carros, motas, fábricas...

Uma caneta corresponde a 40 - 50 minutos de poluição de um motor diesel. No entanto, pode estar a perguntar-se se esta tinta é totalmente segura e de boa qualidade. Pois bem, é. O que é perigoso no caso do pó de poluição é a micropartículasEstas partículas são tão finas que atravessam os nossos pulmões e entram na nossa corrente sanguínea! Ao compactar estas partículas na tinta, elas tornam-se inofensivas.

Especialmente porque o 1er Em novembro de 2018, a OMS anuncia em Genebra que a poluição mata 7 milhões de euros de nós todos os anos, por isso a Air Ink é exatamente o que precisamos!

PROJECTOS REALIZADOS COM TINTA DE AR

Em julho de 2016, a equipa trabalhou com Cerveja Tigre e produziu um vídeo promocional.

O vídeo foi um sucesso retumbante e foi apanhado por organizações noticiosas de todo o mundo. Como resultado, os artistas começaram a afluir para deitar as mãos a uma destas pontas de feltro. Aqui estão dois deles:

Kristopher Ho, muralista de Hong Kong, o seu testemunho Instagram.

O artista Caratoes desenha uma parede com Air Ink. Imagem c/o CNN

OUTROS PROJECTOS NA PLATAFORMA KICKSTATER

O Kickstarter, que está atualmente a celebrar o seu 10º aniversário, é uma plataforma que liga empresários com ideias criativas e contribuintes dispostos a investir nestes projectos. Foi nesta plataforma que a Air Ink conseguiu obter o orçamento necessário para o seu desenvolvimento.

Classificam os projectos por categorias:

  • Art,
  • Banda desenhada e ilustração,
  • Conceção e tecnologia,
  • Cinema,
  • Gastronomia e criação,
  • Jogos,
  • Música e edição.

Alguns dos nossos projectos Whatzhat favoritos:

♻️ Íris - A ferramenta de desenho que inspira a criatividade

♻️ Via - Sapatilhas impermeáveis feitas de plástico oceânico reciclado

♻️ Outros projectos promissores que nos dão confiança no futuro!

Para acompanhar as aventuras da Air Ink, não se esqueça de subscrever a sua página Instagram.

Voltar ao blogue